terça-feira, janeiro 31, 2012


  • Ele: Boa noite, pequena.
  • Ela: Boa noite.
  • Silêncio.
  • Ele: Já dormiu?
  • Ela: To quase. Porquê?
  • Ele: Nada.
  • Silêncio de novo.
  • Ele: Pequena?
  • Ela: Fala.
  • Ele: Você sabia que você foi a melhor coisa que já me aconteceu?
  • Ela: Ah, obrigada.
  • Silêncio de novo.
  • Ele: Ainda tá acordada?
  • Ela: TÔ, CARALHO. FALA LOGO.
  • Ele: Nada não, esqueci.
  • Ela: PORRA, ALÉM DE NÃO DEIXAR A GENTE DORMIR, AINDA É POR BESTEIRA. BOA NOITE.
  • Ela dorme e ele começa a rabiscar algumas palavras em um pedaço de papel enquanto uma lágrima escorre de seu rosto.
  • Ela acorda, vê o lado da cama vazio e um bilhete, parcialmente molhado.
  • "Bom dia, meu anjo. Dormiu bem? Espero que sim. Peço desculpas por ontem à noite, mas eu precisava ouvir sua voz antes de dormir. E hoje saí logo cedo, pra uma última caminhada no parque. Lembra que eu disse que fui ao médico há 6 anos, antes de nos conhecermos e ele diagnosticou câncer de laringe? Então, era verdade. Mas o que não te disse é que ele disse que eu tinha 6 anos de vida apenas. E lembra semana passada quando eu fui ao médico, tossindo muito? Ele disse que eu não passaria por essa noite. E lembra que você acordou várias vezes a semana toda comigo tossindo e cuspindo sangue? Pois é. Era meu corpo avisando que eu tava no fim. Mas não queria te assustar. Antes de eu partir, espalhei pela casa algumas surpresas. Quero que tire o dia para encontrá-las. Te amo, meu amor. Para sempre".
  • Com lágrimas nos olhos, ela desce a escada, que estava coberta de margaridas, sua flor favorita. Chegando à sala, um filhote de cachorro com um lacinho no pescoço dormia no sofá. Havia um bilhete: "Sempre quisemos um filho, se lembra? Aqui está.". Ela fez carinho nele e foi à cozinha, chorando. Uma mesa de café da manhã montada: pães, patês, geleias, sucos, frutas, café... E uma foto dele na outra ponta da mesa, onde costumava se sentar. Um bilhete: "Tome um café comigo.". Depois de uma farta refeição, ela caminhou para o jardim. No banco onde costumavam se sentar e ver o pôr do sol, uma caixinha. Dentro, uma aliança com os dizeres "Sempre seu".

4 comentários:

  1. Nossa muito triste e ao mesmo tempo emocionante. Adorei seu blog, tá lindo. Ve se passa no meu também: http://sejoganavidabebe.blogspot.com/

    to te seguindo, BEIJOS

    ResponderExcluir
  2. Muito obrigada Chriis ;D

    Visitarei o seu blog tambem.

    ResponderExcluir